domingo, 15 de novembro de 2009

O que fazer quando o motor superaquece?

A temperatura média de funcionamento de um motor é de 90º C a 100º C. Acima disso, o propulsor já trabalha superaquecido. Muitos carros trazem mostrador de temperatura no painel: se o ponteiro sair da faixa de normalidade e atingir o vermelho, sinal de que o motor está mais aquecido do que deveria. Há outros carros com relógio de temperatura, que facilitam essa identificação, e outros que simplesmente acendem um símbolo no painel. O último sinal é o mais extremo: o motorista vê o vapor saindo do capô.

Em qualquer uma dessas condições, o primeiro passo é parar o carro imediatamente. “É preciso procurar o posto mais próximo. Se o motorista insistir em rodar nessas condições, o carro sofrerá danos maiores, como queima na junta do cabeçote e até um empenamento irreversível dos pistões”, alerta o engenheiro mecânico da Motor Max, Rubens Venosa. Depois de parar, o dono do veículo deve ter paciência e esperar pelo menos 40 minutos para verificar o nível de água do radiador, já que a causa mais comum do superaquecimento do motor é o vazamento de água. Se a tampa for aberta antes disso, o condutor corre grandes riscos de sofrer queimaduras.

Caso o nível de água esteja baixo, o motorista deve completar a água com o motor ligado, em marcha lenta, para evitar a ocorrência de um choque térmico. Mesmo que o dono do veículo complete o radiador e não perceba mais sinais de vazamento, é preciso procurar uma oficina o mais rápido possível para desvendar o problema. “Muitas vezes o carro perde água e a pessoa nem percebe. Basta ter um pequeno furo, do tamanho de uma agulha, e o vazamento começa. Nesses casos, as gotículas de água que passam por esses pequenos furos evaporam com o aquecimento do motor e o vazamento fica imperceptível”, explica Ricardo Bock, professor de Engenharia Mecânica do Centro Universitário da FEI, de São Bernardo do Campo.

Os vazamentos de água podem ter diversas origens, como uma mangueira estourada ou um radiador furado, por exemplo. Por isso é tão importante que todos os carros passem por manutenção preventiva. “Todos os componentes de borracha, como as mangueiras, não duram mais que cinco anos”, alerta o professor da FEI. Além dos vazamentos, o motor pode superaquecer devido a problemas nas ventoinhas elétricas do radiador, relês ou fusíveis queimados. “Há ainda os defeitos na válvula termostática e bomba d’água”, explica Rubens Venosa.

Fonte: http://revistaautoesporte.globo.com/Revista/Autoesporte/0,,EMI102990-10337,00.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário